jump to navigation

“Este País não é para Velhos”, dos irmãos Coen, vence Óscar de melhor filme Fevereiro 25, 2008

Posted by Vasco in Cinema.
Tags: ,
trackback

win_directingl.jpg

O filme “Este País não é para Velhos”, de Ethan e Joel Coen, conquistou o Óscar de melhor filme na 80.ª cerimónia de entrega das estatuetas que teve lugar ontem à noite (madrugada em Portugal), no Kodak Theatre de Hollywood. Os irmãos Coen venceram igualmente o Óscar de melhor realização pela mesma película.

“Este País não é para Velhos”, a adaptação de um romance de Cormac McCarthy que conta a história de um negócio de droga que dá para o torto, no sul do Texas, venceu ainda a estatueta dourada para melhor guião adaptado e o espanhol Javier Bardem levou ainda para casa, pelo mesmo filme – no qual desempenha o papel de um psicopata de poucas falas – o Óscar de melhor actor secundário.

“Este País não é para Velhos” arrebata assim quatro estatuetas e é exibido hoje, em ante-estreia, no Fantasporto.

Ao aceitar o prémio, Joel Coen falou de como ele e o irmão, Ethan, fazem filmes desde crianças. “Honestamente, aquilo que fazemos agora não me parece muito diferente do que fazíamos nessa altura”, gracejou Joel.

O prémio de melhor actor foi arrebatado pelo britânico Daniel Day-Lewis (“Haverá Sangue”) e o de melhor actriz por Marion Cotillard (“La Vie en Rose”), a primeira francesa a ganhar um Óscar desde que Simone Signoret levou uma estatueta para casa, em 1960.

O Óscar de melhor actriz secundária foi entregue à também britânica Tilda Swinton (“Michael Clayton – Uma questão de consciência”).

Desde 1964 que os quatro principais prémios de interpretação não iam para as mãos de actores e actrizes não-americanos.

O filme austríaco sobre o drama do Holocausto “Die Fälscher” (“Os Falsificadores”) venceu o Óscar de melhor filme em língua estrangeira. Dirigido por Stefan Ruzowitzky, o filme deu à Áustria o primeiro Óscar da sua história nesta categoria.

Como era de esperar, “Ratatui”, da Disney, venceu o Óscar de melhor filme de animação.

“Expiação”, um dos grandes favoritos da noite, acabou por ser o maior derrotado da cerimónia, levando apenas o Óscar de melhor banda sonora original, da autoria de Dario Marianelli. A melhor canção original escolhida pela Academia foi Falling Slowly, do filme “Once”.

Público

Oscar.com

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: