jump to navigation

Um cheirinho de Marrakesh Maio 6, 2008

Posted by Vasco in Viagens.
Tags: , , , , ,
4 comments

Fundada em 1062 por Youssef Ibn Tachfin, um chefe dos Almorávidas, Marrakesh converteu-se numa das cidades mais importantes do Islão medieval, dando origem ao nome do país – Marrocos.

Marrakesh, conhecida também como a cidade vermelha por causa das cores das suas construções, é uma cidade exótica e que fascina sobretudo pelas cores, pelos cheiros, pelas pessoas, pelos sons, pelos contrastes arquitectónicos, pelas palmeiras e pelas montanhas do Atlas com os seus picos cobertos de neve como pano de fundo.

O centro e coração da cidade é a Place Djemaa el-Fna, onde se misturam flautas, tambores, encantadores de serpentes, contadores de histórias, saltimbancos, vendedores de sumo de laranja, mulheres a fazer tatuagens, motas, carroças, enfim um corrupio que só visto, e de preferência do cimo dos terraços dos cafés que circundam a praça.

A Place Djemaa el-Fna é também a porta de entrada para o souk (mercado) que é uma mistura de cheiros e de cores que quase hipnotiza e leva o viajante a querer comprar.

Há de tudo nestes mercados – especiarias, pulseiras, fios e colares, candeeiros, peles, tapetes, música, cabeças de cabra e pão cheios de moscas, sapatos, barbeiros etc, etc.

Aqui impera a lei da oferta e da procura, onde encontrar o preço de equilibrio se revela uma tarefa que exige muito tempo e paciência. Apesar disso, no final de cada compra, fiquei sempre com a sensação de que o negócio acaba por ser bom apenas para uma das partes. E se acham que poderá ser dificil comunicar com os vendedores, desenganem-se! Espanhol, Francês, Inglês, ou números escritos numa folha de jornal, o importante é fazer negócio!

A cidade é dominada visualmente pela torre da mesquita de Koutoubia, que deve ser explorada ao seu redor, passando pela Boulevard Mohamed V. (que poderia ser confundida com uma Boulevard parisiense!), depois de atravessar uma das muralhas da medina por uma das suas portas.

Para além de Marrakesh, ainda houve tempo para visitar um pouco dos arredores da cidade com uma excursão ao Vale de Ourika e a uma das suas muitas aldeias de argila, onde visitámos uma casa típica berbere e aprendemos a fazer o típico chá de menta (que tivemos que pagar claro!). À chegada à aldeia brindei algumas crianças com uns rebuçados e à saída, a notícia deve ter corrido tão depressa, que tinha uma dezena de crianças atrás de mim a quererem bombons!

Voltando a Marrakesh e para finalizar um dos dias, nada melhor que um passeio de calexe até ao Palmeiral, onde estavam uns simpáticos bichinhos à nossa espera. Pelo caminho, constatámos que afinal nem só aqui na nossa Serra da Estrela há pastores.

Para finalizar, talvez um dos melhores momentos… este pôr do sol fantástico!!

Podem clicar nas fotos para ampliar e para informações sobre Marrakesh consultem:

http://www.ilove-marrakesh.com/

Anúncios